top of page

Golpe do Recadastramento

O leitor tem conta em banco, cartão de crédito ou aplicação financeira? Se a resposta foi afirmativa continue essa leitura para saber mais sobre os novos golpes que tem como vítima clientes de bancos. Preste muita atenção no relato da vítima Joana e divulgue esse novo golpe a familiares e amigos.

"Segunda-feira passada quase fui vitima de um crime praticado por um pseudo funcionário do Banco em que tenho conta. Um tal de Arlindo ligou para minha casa, logo cedo, identificando-se como funcionário do Bankfone, dizendo que estava fazendo um recadastramento dos clientes. O objetivo disso, além da atualização do cadastro, era explicar o procedimento que o Banco estava tomando para devolver os 30% do CPMF cobrado em 1999, em razão de ordem judicial que favorecia os correntistas. Ele sabia meu nome completo, RG, CIC, filiação, data de nascimento e numero da conta bancária. Perguntou também se eu estava recebendo normalmente as correspondências do Banco e se eu não desejava mudar o endereço. Num determinado ponto da conversa ele disse que quase não estava me ouvindo, indagou se minha linha era Vésper e disse que iria ligar novamente para ver se a linha voltava ao normal. Na segunda ligação, ele solicitou que eu confirmasse o numero do meu cartão magnético e eu muito ingênua passei toda a numeração. Em seguida ele explicou que a ligação seria transferida para o "computador" do bankfone e logo voltaria para ele. A gravação do bankfone era péssima e parecia que havia sido gravada em um cassete. Recebi instruções para digitar a minha senha inteira (na gravação original é pedido ao cliente que digite apenas os 4 primeiros números). Digitei três números apenas, fiquei desconfiada e desliguei o telefone. Imediatamente entrei em contato com o Bankfone sendo que a atendente confirmou que isso era um golpe, que minha agencia seria avisada e a conta corrente monitorada. Porém, ela não soube explicar como meus dados foram parar nas mãos de criminosos. O tal de Arlindo ligou no dia seguinte, mas minha mãe estava instruída e disse que eu havia viajado. Precisei mudar a senha, bloquear meu cartão e solicitar um novo. Registrei ocorrência na delegacia do bairro, como medida cautelar, pois meus dados pessoais estão rodando por aí. Liguei ainda para o gerente do banco que. Informou que outra cliente havia feito a mesma reclamação no mesmo dia. E a gente acha que nunca vai acontecer conosco, só com os outros. Fiquem atentos". Conclusão: Tenha extremo cuidado com ligações telefônicas desejando seus dados pessoais e principalmente senhas bancarias e de cartões de crédito. Nesses casos, diga que você esta com muita pressa naquele momento e peça o nome completo da pessoa e um telefone para contato posterior. Provavelmente o golpista desligará o telefone ou passara dados fictícios. O leitor deve entender que muitas pessoas optaram pela vida criminosa ao invés de levantar cedo todas as manhas para trabalhar. Desta forma evite conversa com estranhos na rua, na porta de casa e por telefone.

Os chamados "golpes de estelionato" começam com uma conversa amena, desinteressada e aos poucos esses marginais vão conquistando sua confiança até beliscarem seu dinheirinho. Portanto a ordem do dia é: Confie, desconfiando.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Novo roteiro do falso sequestro por telefone

Tenho alertado, insistentemente, o amigo leitor, sobre os cuidados necessários ao se atender telefone fixo ou celular, pois a quantidade de golpes a que se está sujeito é impressionante, e a cada dia

Novo Crime: "Big Brother" via celular

O aparelho eletrônico mais vendido no Brasil é o telefone celular. Seu uso é extremamente democrático; foi adotado por pessoas de todas as faixas etárias e classes sociais. Crianças com 10 anos ou men

Nova estratégia do falso sequestro

A presente matéria é um alerta para os leitores que possuem telefones celulares. O golpe do "falso sequestro", que já fez milhares de vítimas em todo Brasil, tem sido remodelado, constantemente, pelos

bottom of page