top of page

Síndrome do Pânico, você pode imaginar o que é sentir isto?

“Eu estava bem e de repente comecei a me sentir estranho. Comecei a ficar ansioso, meu coração disparou, a respiração estava difícil, eu tremia... foi horrível, eu achei que ia morrer..."

"De repente os olhos embaçaram, eu fiquei zonzo, me senti meio fora da realidade, comecei a ficar com medo daquele estado, eu não sabia onde ia parar, eu não sabia por que..."

"...é uma coisa que parecia sem fim, às pernas tremiam, eu não conseguia engolir, o coração batendo forte, eu estava ficando cada vez mais ansiosa, ansiosa, o corpo estava incontrolável, eu comecei a transpirar, foi horrível..."

"Depois da primeira vez eu comecei a temer que acontecesse de novo, cada coisa diferente que eu sentia e eu já esperava...ficava ansiosa, não conseguia mais me concentrar em nada..."

"Quando começa eu já espero o pior, "aquilo" é muito maior que eu, o caos toma conta de mim em pouco tempo, é como uma tempestade que passa e deixa vários danos... principalmente me sinto arrasado e logo depois com muito medo de que ocorra de novo...minha vida virou um inferno".

Por estes relatos, que poderiam ser de muitas pessoas que sofrem de Síndrome do Pânico, é possível identificar o grau de sofrimento e impotência que estas pessoas sentem ao passar pelas crises de Pânico. Mas o que é Síndrome do Pânico?

A Síndrome do Pânico é caracterizada pela ocorrência de freqüentes e inesperados ataques de pânico. Os ataques de pânico, ou crises, consistem em períodos de intensa ansiedade e são acompanhados de alguns sintomas específicos. A Síndrome do Pânico faz parte dos chamados transtornos de ansiedade conjuntamente com as fobias (fobia simples e fobia social), o estresse pós-traumático, o transtorno obsessivo-compulsivo e a ansiedade generalizada. Os ataques de pânico se iniciam geralmente com um susto em relação a algumas sensações do corpo. Estas sensações disparadoras podem ser desde uma alteração nos batimentos cardíacos, uma sensação de perda de equilíbrio, tontura, falta de ar, alguma palpitação diferente ou um tremor, entre outros. A partir deste susto inicial, começa um processo de medo e ansiedade que vai crescendo até atingir uma intensidade em que a pessoa se sente em estado de desespero e pânico. No estado de pânico, por exemplo, a pessoa pode se sentir "fora da realidade", com falta de ar, taquicardia, desesperada e achando que vai morrer. Assim são as crises de Pânico, estados passageiros de muito sofrimento emocional, com o pavor de que o organismo entre em colapso, com medo de desmaiar, enlouquecer e até morrer.

Os sintomas mais comuns durante as crises são: taquicardia, perda do foco visual, falta de ar, dificuldade de respirar, formigamentos, vertigem, tontura, dor ou desconforto no peito, medo de perder o controle, sensação de irrealidade, despersonalização, medo de enlouquecer, sudorese, tremores, náuseas, desconforto abdominal, calafrios, ondas de calor, medo de desmaiar, sensação de iminência da morte, boca seca.

Dr. Artur Scarpato - Psicologia Clínica www.psicoterapia.psc.br

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Crime e as seqüelas emocionais

O diretor do Centro de Tratamento e Pesquisas de Vítimas de Crimes, da Universidade da Carolina do Sul/EUA, Dean Kil Patrick, afirma que: “Vítimas de crimes estão 10 vezes mais sujeitas do que a média

Traumas pós-violência

Você já foi vítima de um ato de violência e ficou traumatizado? A violência faz parte do mundo animal. Os predadores atacam suas presas por uma questão de sobrevivência. Todo predador tem seu dia de p

Após o crime ficam as seqüelas

Você conhece alguém que tenha desenvolvido síndrome do pânico após ter sido vítima de um ato de violência? Tive a oportunidade de conversar com várias pessoas que desenvolveram síndrome do pânico após

bottom of page